aqui

 

Eu estou aqui.

Parece uma frase inteira.

Dizer "eu estou" não é suficiente porque não sou nada sem um "aqui".

Alguns chamam de Deus. O "Grande Eu sou".

Mas eu não sou Deus.

Eu sou humana.

E, como humana, o "eu sou" tem algumas condições.

Uma das condições é que eu estou em algum lugar.

Mesmo que eu esteja enterrada.

E eu não estou em outro lugar. Eu estou aqui.

Sempre aqui.

Muitos diferentes aqui, mas sempre em algum aqui.

E sempre em movimento. Outra condição.

Uma condição estranha, eu diria, se ligada à primeira.

Eu estou sempre aqui, mas sempre em movimento.

Você sente isso também?

Mas o que acontece se eu estiver numa condição física em que já não possa andar?

Onde é que começa a sensação de movimento?

Com as pernas ou os braços?

Talvez seja apenas uma compreensão superficial do movimento. Vamos mais fundo.

E o coração? Estou batendo?

E a respiração? Estou respirando?

E os olhos? Posso movê-los por mim mesma?

Mesmo que eu me torne um ser robótico-relacional, continuarei a ser humana?

Vou precisar continuar respirando para mover uma máquina?

Vou precisar de um coração? Este coração tem que ser de humano ou poderia ser de outro animal? Estão falando de porcos, mas e os leões? Continuarei a ser humana com um coração de leão?

Ok, agora ficou realmente estranho.

Vamos voltar.

Estou aqui em movimento. Um ser aqui-e-em-movimento. Os meus músculos se movem, mas também o meu coração, a minha respiração e os meus olhos. Todas atividades relacionadas aos músculos, acabei de perceber. Por isso, aqui estou eu me movendo a partir dos meus músculos.

Mas os meus músculos só podem se mover porque há neurônios lhes enviando informação elétrica e recebendo informação de volta. Há uma atividade neuromuscular contínua acontecendo o tempo todo aqui.

Tônus.

Será que ele pára quando eu for enterrada? Acho que sim.

"A atividade neuromuscular acabou, enterrem esta humana”.

Mas e as outras atividades corporais que não são diretamente neuromusculares? E quanto aos líquidos ou o crescimento das unhas?

Imagino que os líquidos só se podem mover interagindo com a pressão dos músculos e das veias, mas e quanto à cartilagem? Será o crescimento das cartilagens um movimento tão lento como o crescimento de uma planta?

Ai meu deus, será que faço algum movimento relacionado com uma planta?

E as bactérias? Fungos? Todos estes seres se movendo em volta da minha barriga, da minha pele e da minha saliva?

Todos estes seres que fazem parte do meu "estou aqui" e que continuam a se mover quando eu for enterrada, quando é que eles param?

O movimento deste corpo pára?

Será que pára se eu doar o meu rim a outra pessoa?

Será que pára se eu permitir que eles doem o meu coração quando todo o resto parar?

Será que pára se eu oferecer o meu corpo a um laboratório de anatomia? Com os estudantes me tocando? Teria movimento acontecendo se eu estivesse passiva ao movimento de outra pessoa movendo o meu corpo sem nenhuma atividade neuromuscular?

Posso cair na estranheza bem rápido, já reparou?

Estou aqui em movimento em direção à estranheza.

Que boa frase filosófica.

Ou um bom senso para começar a dançar.

Nem todo mundo gosta de se mover bonito ou atlético, meu bem. Alguns vão estranhos.

Porque a dança é também a sensação de se mover de forma estranha. Era esperado que a gente andasse, mas daí a perna sobe de uma vez para o céu e ninguém entendeu por quê.

O que está acontecendo com este humano que faz o "estou aqui" se movimentar desta forma estranha que eu nunca vi antes?

No que eu me tornaria se começasse a andar de forma estranha?

Posso ser um "eu sou" diferente? Posso mudar a forma como me relaciono com este "aqui"?

Só o tempo vai mostrar. Vamos parar e ver.

Esta dança.

Ou esperar pelo próximo texto.

agora

  

"Eu estou aqui em movimento" parece uma frase inteira.

Mas não percebi que estou aqui em movimento agora, porque no próximo "agora" estarei em movimento num "agora" diferente, e nesse "agora" diferente eu posso estar em um outro lugar.

Tempo e espaço, meu bem. Vamos ao básico.

Por isso, eu estou aqui agora, em movimento no momento presente, mas quando vocês lerem este texto, não estarei aqui, neste momento, escrevendo.

Desenvolvemos muitas tecnologias, e a palavra escrita nos fez quebrar estas ligações de estarmos juntos no tempo e espaço.

Não estou aqui neste texto, e não estou agora escrevendo ele para você. Mas agora você lê. E eu estou fazendo outra coisa.

É uma comunicação, mas tem um atraso.

Este agora que está acontecendo agora depende de todos os outros agora que aconteceram antes.

Nós chamamos isso de história.

A minha história.

A sua história.

A história desta língua em que nos encontramos.

A história de toda a Humanidade que se liga entre si.

Nós chamamos isso de cultura.

E isto agora que está acontecendo agora está também relacionado com muitos sonhos que eu tive antes.

Eu aprendi a olhar pra frente.

Porque permanecer ligada ao tempo presente é importante, mas se eu não me lembro que o tempo está passando, o tempo vai passar de qualquer maneira.

E esta capacidade de olhar pra frente nos deu a possibilidade de planejar, projetar e sonhar.

E quando sonho, estou vendo o futuro.

Por vezes acontece de forma estranha. Chamamos de "déja vu".

É quando vivo algo que talvez já tenha sonhado ou vivido antes.

É realmente estranho, mas acontece com os humanos.

Porque o espaço não é linear, e o tempo também não é.

É o que tenho ouvido dos não-Cartesianos.       

Estamos (provavelmente) vivendo em um espaço em espiral viajando no tempo em espiral através do universo para um novo aqui-e-agora do qual a gente não tem nenhuma ideia.

A Terra viaja sem o nosso consentimento.

Ou nossos planos.

A Terra viaja por si mesma.

Ou pela conexão com todos os seres em volta dela.

Os planetas se comunicam? E as estrelas, os satélites, os buracos negros?

Eu ouvi dizer que a posição da Lua muda as águas no planeta Terra.

Isso é um tipo de comunicação?

Eu não acho que eles podem ter um atraso como a gente agora. Eu acho que eles têm que estar muito conectados ao momento presente bem aqui e bem agora movendo juntos nesse espaço espiralado para algum lugar que eu não tenho a mínima ideia.

Mas eles sabem.

Ou eles também não sabem, mas enquanto eles estiverem se comunicando uns com os outros, eles vão chegar em algum lugar.

Se eles chegarem em algum lugar e pararem, aí tudo vai mudar.

Eles não devem ter outros planos que não continuarem se movendo.

Mas eu tenho vários.

Eu quero fazer tanta coisa, mas eu decidi há um tempo que eu iria me mover em volta da sensação de habitar. Então é isso que estou fazendo agora.

Como habitar é um mistério para mim, eu estou tentando começar com o básico.

“Eu estou aqui em movimento agora”.

“Agora” é algo que eu encontrei hoje porque eu percebi que o tempo está passando.

E o tempo já passou pra mim, eu tenho alguma história. Em minha história há alguns anos de aulas de dança. Mais da metade da história.

Então eu treinei bastante pra ter a minha sensação de movimento mudando.

Ela muda se eu me movimento sozinha ou se eu me movimento com outras pessoas.

Ela muda se é um movimento planejado ou se eu estou improvisando.

Ela muda de acordo com o estado em que estou hoje.

Eu ouvi dizer que a dança é uma forma de comunicação baseada no movimento corporal. Mas a sensação de movimento, a sensação de corpo e a sensação de comunicação podem ser diferentes para cada pessoa a cada momento.

Assim como a sensação de habitar.

Então eu vou devagar.

E eu gostaria de comunicar isso a você.

Eu não vou esperar até ficar pronto.

Nós vamos ao longo processo

vendo o que o tempo faz conosco

enquanto estamos aqui nos movendo agora.

comer

  

Esta coisa de ser um ser em movimento é uma armadilha daquelas.

Eu estou aqui em movimento agora.

Cada aqui é diferente, cada movimento é diferente, e cada agora, sabe como é, é sempre diferente.

Porque eu estou sempre em movimento.

Cada movimento muda tudo.

- Cada movimento é uma micro-revolução. Escrevi isso há décadas e ainda faz muito sentido.

Cada movimento muda tudo e eu estou sempre em movimento.

Em movimento em movimento em movimento em direção à, em movimento em movimento para lugar nenhum, em movimento para a cozinha porque estou com fome.

Em toda a minha vida, vou passar mais tempo me movendo em direção às minhas refeições do que dançando.

Eu preciso de comer 4 a 5 vezes por dia, e nem todas as refeições são tão rápidas de preparar. Eu preciso de algum tempo.

E depois de comer, preciso limpar e dar algum tempo para que a comida desça pelo meu estômago. Caso contrário, sinto dor. Não consigo comer e começar a dançar logo em seguida.

Tenho que esperar.

Percebeu o quanto de tempo eu gastei?

Comer ainda faz parte do meu "Eu estou aqui em movimento agora", porque sem comida o movimento não acontece.

E toda a dança termina. A dança "toda-toda", sabe o que quero dizer?

Há tantas outras pessoas que nem sequer podem pensar em dançar porque não estão comendo. E o corpo é político. A fome é política. Todas estas experiências privadas que temos são todas políticas.

Não é possível subestimar a alimentação.

Faz parte desta dança.

E eu só posso preparar uma refeição onde habito.

Location%20Mark_edited.png

Ponderosa Movement & Discovery
Agosto - Dezembro de 2019